Rasbora Micro (Boraras micros)

Boraras micros (Kottelat & Vidthayanon, 1993)

Foto cedida por Nonn Panitwong (c)

Nome Popular: Rasbora Micro — Inglês: Three-spotted dwarf minnow

Ordem:  Cypriniformes — Família: Cyprinidae (Ciprinídeos)

Distribuição: Ásia, bacia do Mekong

Tamanho Adulto: 1.3 cm

Expectativa de Vida: 3 anos +

pH: 6.0 a 7.0 — Dureza: —

Temperatura: 22°C a 28°C

Aquário Mínimo: 60 cm (comprimento) X 30 cm (largura) — Prefere aquário com plantas formando áreas sombreadas. Mostram-se mais coloridos e ativos quando mantidos em aquário plantado com áreas abertas para natação. Pode-se adicionar raízes e folhas secas (opcional) como decoração. Apesar de seu tamanho diminuto, precisa de espaço para nadar e os machos dominantes formarem territórios temporários durante a desova.

Comportamento & Compatibilidade: Espécie pacífica e gregária que forma hierarquia livre, podendo ser mantido em aquário comunitário com peixes de tamanho diminuto. Será importante manter em cardume com pelo menos 10 espécimes para que mostrem seu comportamento natural e cores mais realçadas. Devido seu tamanho diminuto se torna ideal para aquário plantado ou de camarões ornamentais.

Alimentação: Onívoro, em seu ambiente natural é provável que se alimenta de pequenos insetos, vermes, crustáceos e zooplâncton. Em cativeiro aceitará prontamente alimentos secos.

Reprodução: Ovíparo, sua reprodução é similar dos pequenos ciprinídeos. A fêmea irá disseminar ovos livremente no substrato ou em folhas e o macho irá fecundar em seguida. Não ocorre cuidado parental e os alevinos eclodem em até dois dias permanecendo no saco vitelínico. Em 24h estarão nadando livremente.

Dimorfismo Sexual: Fêmeas são ligeiramente maiores e mais roliças que os machos, principalmente na região ventral. Machos adultos possuem corpo retilíneo e são ligeiramente mais coloridos.

Biótopo: Ocorre em corpos rasos de água como pântanos, várzeas e arrozais. A vegetação submersa tende a crescer densamente nessas águas predominantemente claras. Migram temporariamente para áreas inundadas durante a estação chuvosa.

EtimologiaBoraras; anagrama do nome genérico Rasbora, em referência à relação inversa de vértebras abdominais e caudais neste gênero. Micros; do grego mikrós, que significa ‘pequeno’, em referência ao tamanho diminutivo desta espécie.

Sinônimos: Não possui

Informações adicionais: Sua distribuição está restrita a bacia do Mekong, no nordeste da Tailândia, onde foi coletado nas províncias de Nong Khai, Udon Thani e Sakon Nakhon. Há relatos de sua ocorrência no Laos, mas não conseguimos obter nenhuma informação conclusiva.

Boraras micros é considerado um dos menores ciprinídeos do mundo. O gênero Boraras é um anagrama de seu antigo gênero (Rasbora), em alusão as vértebras abdominal e caudal invertidas deste gênero. Micros vem a partir da palavra grega mikrós que significa “pequeno”, em alusão ao seu tamanho diminuto.

Esta espécie raramente é encontrada no comércio, com muitas das espécies disponíveis rotuladas com seu nome representando congêneres mais coloridos. Peixes a venda e rotulados como B. micros var. ‘red’ ou ‘rasbora strawberry’ quase sempre são B. maculatus , B. brigittae ou B. naevus.

Seu pequeno tamanho quando adulto evoluiu através de um processo conhecido como miniaturização, caracterizado por adultos sexualmente maduros com um tamanho significativamente reduzido. Entre os peixes ósseos da ordem Cypriniformes, todas as espécies dos gêneros BarboidesDanionellaMicrodevarioMicrorasboraHoradandiaBoraras, Sawbwa e Sundadanio apresentam este fenômeno.

A estrutura anatômica dos ciprinídeos miniaturizados pode variar muito, e existem dois ‘agrupamentos’ com algumas espécies possuindo características intermediárias em algum grau. O primeiro contém aqueles peixes que, embora pequenos, são essencialmente versões anãs de seus parentes maiores, por exemplo, Barboides, Microdevario, Microrasbora, Boraras, etc.

O outro grupo inclui espécies em que o desenvolvimento anatômico para num ponto em que o adulto ainda se assemelha a forma larval de seu ancestral maior, ou seja, Danionella e Paedocypris.

Os últimos geralmente são referidos como “truncados” em seu desenvolvimento e acredita-se que tenham evoluído através de um processo conhecido como “pedomorfose progenética”, ou seja, a pedomorfose causada pela maturação acelerada. Eles tipicamente exibem uma estrutura esquelética simplificada juntamente com peculiaridades morfológicas específicas da espécie.

Espécies Boraras do Arquipélago Malaio (B. brigittae , B. maculatus e B. merah) tendem a ter um perfil corporal mais magro e alongado do que as da Indochina (B. micros, B. urophthalmoides, B. naevus) que pode ajudar quando tentar identificá-los.

Foto cedida por Choy Heng Wah (c)

Referências:

  • Kottelat, M. and C. Vidthayanon, 1993. Boraras micros, a new genus and species of minute freshwater fish from Thailand (Teleostei: Cyprinidae). Ichthyol. Explor. Freshwat.
  • Wu, H.L., K.-T. Shao and C.F. Lai (eds.), 1999. Latin-Chinese dictionary of fishes names. The Sueichan Press, Taiwan.
  • Baird, I.G., V. Inthaphaisy, P. Kisouvannalath, B. Phylavanh and B. Mounsouphom, 1999. The fishes of southern Lao. Lao Community Fisheries and Dolphin Protection Project. Ministry of Agriculture and Forestry, Lao
  • Liao, TY, Kullander, SO and F. Fang, 2009 – Zoologica Scripta 39(2): 155-176
    Phylogenetic analysis of the genus Rasbora (Teleostei: Cyprinidae)
  • Conway, KW and M. Kottelat, 2011 – Zootaxa 3002: 45-51
    Boraras naevus , a new species of miniature and sexually dichromatic freshwater fish from peninsular Thailand (Ostariophysi: Cyprinidae)

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Janeiro/2019
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 734 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*