Crânio gigantesco de ‘peixe-lagarto’ de 200 milhões de anos é encontrado

Reconstrução digital de fóssil de réptil marinho traz novidades sobre a criatura

 
RECONSTRUÇÃO DIGITAL DO “PEIXE-LAGARTO” FOI FEITA COM TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA; HÁ DÉCADAS CIENTISTAS ESTÃO ÁVIDOS POR INFORMAÇÕES SOBRE O ANIMAL (FOTO: BIRMINGHAM SCIENCE MUSEUM)

O crânio de um ictiossauro, da ordem de répteis marinhos jurássicos extintos há 200 milhões de anos, foi escaneado em 3D recentemente por cientistas — o que trouxe novidades a respeito da anatomia da criatura. Essa é considerada uma descoberta única, visto que esses fósseis geralmente estão em péssimo estado físico por causa do tempo.Os fósseis dos ictiossauros foram encontrados no condado inglês de Warwickshire, a 1,2 metros abaixo do chão, em um tipo de argila rígido e cinza azulado.

A reconstrução digital do “peixe-lagarto” em questão, feita com uso de tomografia computadorizada, mostra ossos da caixa craniana e impressões do próprio cérebro. O crânio tem quase um metrô de comprimento: em outros exemplares da espécie, esse tamanho podia chegar a até quatro metros.

Registros de museus classificam a criatura como Ichthyosaurus communis, mas a equipe de Lomax crê que se trata de uma espécie chamada Protoichthyosaurus prostaxalis. As imagens revelaram também materiais usados por pesquisadores décadas antes, como argila, madeira e gesso, para unir e reconstruir peças do crânio.

Os “peixes-lagarto” tinham grandes olhos e narinas posicionadas na parte traseira e superior de seus crânios — o que sugere que eles podiam respirar oxigênio de maneira semelhante à das baleias e golfinhos modernos, embora não haja relação entre eles.

Isto configura um caso conhecido como “evolução convergente”: quando duas linhagens independentes e com características parecidas evoluem de acordo com as exigências impostas pelo meio ambiente.

Fonte: Revista Galileu

Sobre Edson Rechi 757 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*