Couro de peixe vira bolsa, sapato e roupa no Quênia

Empresa encontrou mais um meio de faturar com os peixes capturados no norte do país

 
Foto divulgação

Uma empresa queniana de pescados encontrou outra alternativa para faturar com os peixes pescados no Lago Turcana, no norte do país africano. O couro que sobra dos pescados se transforma em calçados, bolsas e vestuário em geral.

De acordo com a Victorian Foods Factory, a pele dos peixes é colocada em uma máquina de curtume depois que suas escamas são removidas e encharcadas por uma hora. Então, o extrato de banana é adicionado para remover odor de peixe. O sal é acrescentado “para fortalecer a fibra”  e depois acaba encharcado por mais oito horas até finalizar o processo preparatório para a modelagem.

“Couro de peixe é considerado exótico, como o de réptil, mas sabemos que muitos deles estão em perigo de extinção. Encontramos uma boa alternativa para isso, porque aproveitamos além da carne. Então, acho que muito em breve, à medida que ganhe popularidade, haverá muita demanda por este tipo de couro no mercado”, conta James Ambani, CEO da Victoria Foods.

A Victorian Foods tem trabalhado com a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação como parte de sua iniciativa. O objetivo é agregar valor e aumentar o emprego no setor pesqueiro, o qual somente no Lago Turcana conta com 300 pescadores.

Publicado em Dezembro/2018

Sobre Edson Rechi 747 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

1 Comentário

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*