Descoberto que cascudo já existia há 10 mil anos

Fóssil encontrado na Argentina mostra o quanto a espécie é antiga na América

Pesquisadores do Museu Paleontológico de San Pedro, na Argentina, encontraram um fóssil que confirmaria a existência do bagre cascudo na América há mais de 10 mil anos. A espécie habita rios de diversos países e no Brasil ganhou destaque no aquarismo e na piscicultura por fazer a função de “limpeza” – já que se alimenta de detritos e ainda come peixes forrageiros.

De acordo com o jornal Clarín, foram encontradas cerca de 40 placas ósseas, espinhas peitorais, vértebras e algumas partes do dorso de um exemplar da espécie Loricariidae. Esta seria apenas o quarto fóssil de cascudo já encontrado em toda a história.

“A característica do solo onde encontramos esse fóssil data de pelo menos 10 mil anos. Acreditamos que esta espécie já vivia na Argentina no Período Geológico Quaternário”, explica um dos chefes da pesquisa, José Luis Aguilar.

O fóssil foi encontrado num sítio arqueológico a 170 km de Buenos Aires e a princípio teria sido confundido com cascas de caracóis.

Nota do editor: Cascudos não fazem “limpeza” do aquário e não se alimentam somente de algas, detritos, resíduos e material orgânico como é amplamente difundido erroneamente. Assim como qualquer outra espécie de peixe, possui regime alimentar especializado, variando de acordo com a espécie. 

Publicado em Setembro/2018

Sobre Edson Rechi 706 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*