Peixes: O fim de uma antiga charada

O que faz os peixes nadar tão rápido, se a força de seus músculos é menor do que seria necessária para atingir tamanha velocidade?

 

Um mistério de cerca de cinquenta anos: o que faz os peixes nadar tão rápido, se a força de seus músculos, segundo os cálculos dos especialistas, é menor do que seria necessária para atingir tamanha velocidade?

Conhecido como paradoxo de Gray, essa charada pode estar às vésperas de ser desvendada graças a uma descoberta anunciada pelo biólogo americano, Lawrence C. Rome, da Universidade da Pensilvânia.

Ao contrário do que se acreditava, a força de empuxo das nadadeiras dos peixes não vem dos músculos junto à cabeça, mas do que antes se acreditava ser apenas um “eixo de transmissão”: músculos “vermelhos”, altamente ricos em sangue.

Lawrence e sua equipe monitoraram a atividade elétrica desses músculos em peixes no aquário e depois aplicaram as mesmas cargas, em laboratórios, aos mesmos, extratos musculares, encontrando respostas semelhantes. Ou seja, muito mais do que transmitir o comando vindo da região da cabeça, é a contração desses músculos longitudinais que impulsiona as nadadeiras.

O que talvez explique por que, antes, a relação entre força e velocidade parecia não ter sentido.

Fonte: Revista Super Interessante

Sobre Edson Rechi 757 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*