Aquarista da velha guarda

 

Autor: Edson Rechi 

Hobbystas, plantadores, jumbistas, criadores, killiofilistas, biólogos, entre outros, no encontro Aquarismo Paulista realizado em Suzano (SP). Tudo junto e misturado como deve ser 🙂

Pelos anos e por conduta pessoal, sou um aquarista da velha guarda. E isso hoje é ir na contra mão.

– Se eu tenho uma Aruanã asiática de R$5.000,00 e você um Kinguio de R$ 5,00 – o valor não importa! São belos peixes e devem ser respeitados igualmente!

– Jamais me gabarei por ter um aquário maior ou equipamentos que custam uma pequena fortuna. Dependendo da situação, aquele velho filtro de espuma pode ser tão eficiente quanto um canister de última geração.

– Sempre respeitarei tua opinião e experiência prática. Aquarismo não é uma ciência exata.

– Sempre procurarei difundir o aquarismo responsável, nunca o contrário!

– Informações conflitantes? Vamos trocar experiências! Eu posso acrescentar algo em seu conhecimento, assim como também posso aprender com você.

– Tenha você a cor que tiver, religião que seguir, o peixe ou o tipo de aquário que for, sempre terá um lugar reservado em rodas de meus amigos aquaristas.

– Ainda prefiro ir até aquela lojinha de aquários do que comprar pela internet.

– Eu não sou raro, sou da velha guarda do aquarismo. Infelizmente muita coisa mudou radicalmente de uns tempos pra cá.

– Tanta informação em meio a um monte de desinformação.

– A maioria não aceita opiniões contrárias, veja bem, contrárias e não contraditórias.

– A ignorância e preguiça de pesquisar prevalece.

– A ostentação, achismo e prepotência começam a imperar. Cadê a humildade e respeito ao próximo?

– Será esta a nova escola de aquaristas?

Não achei que mesquinhez, entre outros comportamentos negativos, chegaria no aquarismo. Está ficando no esquecimento a troca de informações, camaradagem, amizade e respeito ao próximo.

Forte abraço a todos!

Texto publicado em algum dia de 2018, atualizado no inverno de 2020.

Sobre Edson Rechi 827 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

4 Comentário

  1. Excelente o texto do aquarista da velha guarda, aqui em Vitória-ES é exatamente assim, se você não tem um aquário gigante com peixes de 5000 reais, você não é aquarista.

     
  2. Sou a favor de auxiliar pessoas que estão iniciando no aquarismo devemos ser humanitário um pouco de amor ao próximo orientando e oferecendo ajuda no que for possível.

     

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*