Aquário plantado e peixes jumbo, uma combinação diferente

Autor: Renato Moterani (Peixe Grande Aquarismo)

plantado-jumbo

Bom, de início parece contraditório, pois ambos os sistemas tem estrelas diferentes, no de jumbos os peixes são o principal elemento, no plantado, as plantas e sua composição paisagística que são o foco.

Então, é possível essa união do aquário plantado com Jumbos?

Depois de muito pesquisar e analisar diferentes montagens posso dizer que sim, é possível montar um aquário formando um todo, onde ambos os elementos se unem e se completam. Mas para isso ocorrer é preciso muito planejamento e usar critérios muito rigorosos na escolha de cada elemento desse aquário. Isso devido às necessidades de ambos os sistemas, por exemplo, quando falamos em plantados, já imaginamos aquele aquário que parece uma paisagem, repleto de plantas de diversas espécies, mas esse tipo de aquário precisa de manutenção constante, injeção de gás carbônico, substrato fértil e iluminação forte.

Já os jumbos normalmente não se dão bem com CO² devido a alteração no pH que pode ocorrer, costumam bagunçar o substrato, precisam de tampas e iluminação moderada. Vejam que nem mencionei as espécies que se alimentam também de plantas. Aqui no Brasil, praticamente todos os aquários que vejo não são plantados com jumbos, são aquários de jumbos com plantas apenas. A razão de você ver lá fora aquários lindos mesclando ambos e aqui apenas duas ou três espécies de plantas nos aquários de jumbo é, a meu ver, uma questão cultural que se resume em uma palavra: DISCIPLINA.

Nos países onde vemos essas montagens darem certo, os aquaristas tem a disciplina necessária para montar o aquário da forma correta e no tempo certo, coisa que não acontece aqui.

plantado-jumbo2

Então, como seria essa união perfeita?

Primeiro passo – Vamos começar pelo aquário

Para evitar a necessidade de uma iluminação muito potente, o ideal é que o aquário tenha no máximo 50 cm de altura. Largura e comprimento não tem grande influência, caso você queira um aquário plantado simples. Apenas no Aquapaisagismo que a largura influência no layout.

Um detalhe importante para começar uma montagem dessas, para que o sistema dê realmente certo, é preciso iniciar apenas com as plantas. Isso porque elas precisam de um tempo até que suas raízes se desenvolvam, principalmente as espécies que se aderem a troncos ou rochas, como Anúbias e Microsorum. Esse período pode coincidir com a ciclagem do aquário, mas provavelmente se estenda por mais tempo que a maturação do filtro e é necessário que permaneça sem peixes, pois a simples movimentação deles pelo aquário pode dificultar ou impedir o bom enraizamento das plantas.

penas para lembrar, muitos dos peixes que iremos colocar costumam saltar, para evitar fatalidades podemos usar tampas de madeira fechando totalmente o aquário, com coolers e entradas para ventilação ou então montar uma armação e recobrir parte superior com uma tela plástica, permitindo a passagem.

 Segundo passo –  Escolher criteriosamente a fauna e flora do aquário

Flora: O ideal é que sejam usadas espécies de plantas de baixa exigência e manutenção, o uso de substrato fértil é possível, iluminação não muito forte e o fator mais importante é que elas precisam dispensar o uso da injeção de CO² ou que haja um bom controle no pH.

Sugestões: Essas espécies podem ser usadas para compor um aquário com jumbos, pois reúnem características parecidas, como facilidade de manutenção e pouca exigência quanto ao CO² e a luz.

Musgos, Microsoruns e outros:
Marimo Ball- Aegagropila linnaei
African Water Fern – Bolbitis heudelotii
Watersprite – Ceratopteris thalictroides
Pheonix Moss – Fissidens fontanus
Singapore Fissidens – Fissidens sp. “Singapore”
Zipper Moss – Fissidens zippelianus
Willow Moss – Fontinalis antipyretica
Wavy Leaf Java Fern – Microsorum pteropus undulata
Tropica Java Fern- Microsurm pteropus ‘tropica’
Philippine Java Fern – Microsorum pteropus ‘Philippine’
Java Fern – Microsorum pteropus
Red Java fern – Microsorum pteropus “red”
Windelov Java Fern – Microsorum pteropus ‘Windelov’
Narrow Leaf Java Fern – Microsorum pteropus v. ‘narrow leaf’
Needle Leaf Java Fern- Microsorum pteropus ‘needle leaf’
Pellia – Monosolenium tenerum
Mini Pellia – Riccardia chamedryfolia
Round Pellia – Süßwassertang
Flame Moss – Taxiphyllum alternans
Java Moss – Taxiphyllum barbieri
Peacock Moss – Taxiphyllum sp. ‘peacock’
Taiwan Moss – Taxiphyllum sp.
Java Moss – Vesicularia dubyana
Christmas Moss – Vesicularia montagnei
Erect Moss – Vesicularia reticulata
Water Clover – Mariselia minuta
Marsilea hirsuta
Four Leaf Clover – Mariselia quadrifolia

Plantas de Caule:
Gênero Echinodorus
Waterwheel Plant – Aldrovanda vesiculosa
Bacopa – Bacopa caroliniana
Moneywort – Bacopa monnieri
Hornwort – Ceratophylum demersum
LWatersprite – Ceratopteris thalictroides
LAnacharis – Egeria densa
American Waterweed- Elodea canadensis
Stargrass – Heteranthera zosterifolia
FL-Brazilian Pennywort – Hydrocotyle leucocephala
Water Pennywort – Hydrocotyle ranunculoides
Ceylon Hygro – Hygrophila polysperma ‘Ceylon’
Giant Hygro – Hygrophila corymbosa
Water Wisteria – Hygrophila difformis
Green Hygro – Hygrophila polysperma
Sunset Hygro – Hygrophila polysperma ‘Rosanervig’
Parrots Feather – Myriophyllum aquaticum
Guppy Grass – Najas guadalupensis
Cambomba – Cambomba carolina

plantado-jumbo5

Flutuantes:

Hornwort – Ceratophylum demersum
Watersprite – Ceratopteris thalictroides
Anacharis – Egeria densa
Brazilian Pennywort – Hydrocotyle leucocephala
Duckweed – Lemna minor
Parrots Feather – Myriophyllum aquaticum
Red Root Floater – Phyllanthus fluitans
Giant Slavinia – Salvinia molesta

Anúbias:
Anubias barteri – Anubias barteri
Anubias barteri ‘marble’ – Anubias barteri ‘marble’
Coffee leaf anubias – Anubias barteri v. ‘coffeefolia’
Anubias barteri v. ‘glabra’ – Anubias barteri v. ‘glabra’
Golden nana – Anubias barteri v. ‘nana golden’
Anubias nana – Anubias barteri v. ‘nana’
Narrow leaf nana – Anubias barteri v. ‘nana narrow leaf’
Petite nana – Anubias barteri v. nana ‘petite’
Hastifolia – Anubias hastifolia
Barteri Round Leaf – Anubias barteri v. ‘Round Leaf’
Gigantea – Anubias gigantea
Congensis – Anubias congensis
Lanceolota – Anubias lanceolota
Gracilis – Anubias gracilis
Anubias Barteri v Angustifolia – Anubias barteri v angustifolia
Caladiifolia -Anubias barteri v. Caladiifolia
Anubias Afzelli – Anubias afzelli

Outras:
Water Celery- Vallisneria americana
Contortion Val – Vallisneria asiatica
Vallisneria natans
Valliseneria rubra
Corkscrew Val – Vallisneria tortifolia
Dwarf Sag- Sagittaria subulata

Lista de espécies de peixes que podem sem usadas

  • Acaronia nassa – Um dos poucos ciclídeos que podem ser mantidos em plantados, um peixe muito interessante, mas pouco conhecido no Brasil, atinge pouco mais de 20 cm.
  • Aruanãs – Vale lembrar que, devido a pouca profundidade do aquário, existe o risco de uma aruanã já grande dominar toda a coluna d’água, tornando difícil a colocação de mais espécies.
  • Bagres – Podem ser usadas espécies mais tranquilas como o jurupensen e os de menor porte, pintados e outros grandes podem revirar o substrato com seus movimentos no aquário.
  • Caquetaia spectabilis (Acará Rosado) – Outro ciclídeo que fica muito bem nesse sistema, peixe de enorme beleza, menosprezado no país, mais um caso de peixe nosso que não é valorizado, possui boca protrátil, se assemelhando muito aos datnioidesapesar de não ter nenhum parentesco com eles. São carnívoros de emboscada assim como o Acaronia, infelizmente são também bastante agressivos.
  • Caracídeos – São os reis dos plantados, pelo menos em minha opinião, acho fantásticas as montagens onde existem cardumes de neons e outros pequenos caracídeos coloridos. Mas, também existem as espécies maiores e predadoras que ficam muito bem neste sistema, entre elas: Boulengerella maculata (Bicuda), Hydrolycus scomberoides (Cachorra), Charax, Ctenolucius hujeta, Saicangas
  • Ciclídeos – Alguns poucos podem ser mantidos:
  • Ctenopoma acutirostre (Gourami Leopardo) – Logo de cara vocês podem pensar “ué, mas ele não falou que gourami não dá?” Esse é uma exceção, essa espécie atinge 20 cm e é um predador de grande beleza, fica ótimo em plantados.
  • Datnioides microlepis (Peixe Tigre Siâmes)
  • Hoplias malabaricus (Traíra)
  • Jacundás às vezes dão certo, mas sempre é um risco caso formem casal.
  • Lepisosteus
  • Monocirrhus polyacanthus (Peixe-folha)- Espécie de pequeno porte chega a pouco mais de 10 cm, mas coloquei aqui na lista por ser um dos mais fascinantes peixes, um ótimo predador, consegue engolir presas enormes comparadas a seu tamanho, o maior inconveniente desse peixe é que ele só se alimenta de presas vivas.
  • Peixe-faca
  • Piranhas – Uma das montagens mais utilizadas lá fora, chegando a se reproduzir com grande frequência.

Lembro que é possível a colocação de substrato fértil e isso faz enorme diferença no sucesso desse tipo de montagem.

plantado-jumbo3

Fauna: Aqui é onde existe a maior dificuldade, a escolha criteriosa da fauna é o que irá determinar o sucesso ou fracasso do sistema.

Logo de cara já posso dizer o óbvio, devem ser excluídas da montagem todas as espécies herbívoras e onívoras, exemplos: Panaque, Gouramis, Tambaqui, Pacus (TODAS as suas espécies e híbridos), Brycons (piraputangas e Matrinchã), Uarus, Piramboias, etc. O conselho é pesquisar bastante antes de escolher a fauna.

Além desses, devemos também excluir os escavadores, nessa categoria se enquadram praticamente todos os Ciclídeos, Mussuns e arraias. Eu poderia citar aqui várias espécies que se dão bem neste sistema, mas como são muito raras aqui no Brasil, vou me ater aos animais que conseguimos aqui.

  • Polypterus senegalus – A melhor espécie para esse sistema se adapta tão bem que chega a se reproduzir nesse tipo de aquário.
  • Poraquê e seus primos – Praticamente todos os ituís podem ser mantidos, tuviras ficam muito bem nesse sistema.
  • Salminus maxillosus (Dourado)
  • Tucunarés – Único dos nossos grandes ciclídeos que pode ser mantido em plantados, ainda assim apenas em sistemas grandes e desde que já adaptados a comer alimento morto, senão, podem revirar o substrato durante caçadas.

A formulação do conjunto fauna x flora vai dar a harmonia ao aquário e é de gosto pessoal de seu proprietário, a parte de decoração e flora não irei opinar, pois isso é a parte onde entra a criatividade e sensibilidade do aquarista, mas sobre a fauna irei dar algumas opções por categorias.

Fauna de pequeno porte: Ctenopoma acutirostre (Gourami Leopardo), Peixe folha, Hujeta, Polypterus senegalus, Charax, Acaronia nassa e Traíra vermelha.

Fauna de caracídeos: Boulengerella maculata (Bicuda), Cachorra de rabo vermelho (Hydrolycus tatauaia), Saicangas (várias espécies podem ser misturadas) e Traíra vermelha

Fauna média: Acaronia nassa, Caquetaia spectabilis (Acará Rosado), Datnioides microlepis, Polys e Traíra

Fauna grande (1): Salminus maxillosus (Dourado), Jurupensen,  Poly endlicheri, Poly ornatos e Traíra

Fauna grande (2): Aruanã, Hydrolycus scomberoides (Cachorra), Datnioides microlepis, Polys e Tucunarés

plantado-jumbo4

Enfim, essas são apenas ideias, relembro que esse é um sistema complexo, exige muito planejamento e disciplina na sua execução, a presença de plantas contribui muito para a redução dos dejetos dos peixes e esses por sua vez ajudam fertilizando as plantas, mas não podemos jamais descuidar dos parâmetros, que devem ser sempre conferidos e corrigidos de acordo com as necessidades. A filtragem também tem que ser bem dimensionada, como se fosse um aquário de jumbos normal.

Se todos os passos forem seguidos, você terá em sua casa um aquário de rara beleza e que com certeza irá cativar o olhar de quem quer que olhe para ele.

 

Sobre Renato Moterani 16 Artigos
Natural de São Paulo-SP, é aquarista desde 1986, na época foi a uma avicultura (não existia o termo Pet Shop..rs) e comprou um peixe chamado Oscar, colocou esse peixe junto dos neons e espada de seu irmão mais velho, duas semanas depois ganhou esse aquário do irmão, após todos os peixes serem devorados. É técnico contábil, Servidor Público estadual, trabalhando atualmente no Instituto Butantan, com produção e pesquisa sobre venenos de serpentes. Sempre mantendo peixes jumbo, se especializou na área e desde 2014 mantém o grupo Peixe Grande Aquarismo e a página de mesmo nome. Atualmente possui 4 aquários montados, o maior com 2.200 litros e o menor com 100.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*