Como montar um aquário hospital

 

Por Rosana Ferreira – Julho/2017

O aquário hospital é qualquer aquário utilizado única e exclusivamente para tratamento de peixes doentes, baldes grandes e organizadores também podem ser utilizados para esse fim. Diferentemente do aquário principal é o típico “aquário pelado”, contendo apenas:

  • Termostato e termômetro, para controle da temperatura.
  • Mecanismo de aeração: compressor e pedra porosa.
  • Materiais exclusivos para uso: redes, sifão, mangueira e qualquer outro item de manutenção… a fim de não contaminar outros aquários habitados com peixes sadios.

A iluminação pode ser usada somente se o aquário estiver em um local muito escuro, e mesmo assim, deve ser fraca, apenas para visualizar o peixe e conferir seu estado. Alguns medicamentos apresentam degradação na presença de luz, então, é preciso observar as informações na bula.

Porque deve-se evitar o uso de:

  • Substrato : além de reter sujeira, pode abrigar organismos patogênicos.
  • Filtragem química : Retém a maioria dos medicamentos, impedindo o processo de cura.
  • Plantas: além da contaminação, não sobreviveriam a ação de medicamentos ou a falta de luz e nutrientes.
  • Troncos, rochas e enfeites : Podem afetar as condições da água, reagindo com o medicamento e liberando substâncias tóxicas aos peixes ou inativando o princípio ativo.
  • Filtragem biológica : A maioria dos medicamentos usados nos tratamentos acaba por exterminar as bactérias nitrificantes. A decomposição dessa biologia acaba por prejudicar a qualidade da água.

O volume indicado costuma ser de um aquário médio, mais ou menos de 20 a 50 litros, por questões de manutenção e gastos com água e medicamento. Claro que os donos de peixes grandes (alguns ciclideos, jumbos e carpas), precisam de um aquário hospital de acordo, alguns com 100 litros ou mais.

Para compensar a falta de filtragem quimica e biológica, é necessário o uso de TPAs diárias e reposição do medicamento perdido com essa troca. O volume a ser trocado varia de 70% a muitas vezes 100% com sifonagem se for o caso, precisando observar sempre, o uso do condicionador/anticloro, a temperatura e o pH iguais aos da água “velha”. Choques de parâmetros são especialmente danosos, dificultando uma resposta positiva do peixe ao tratamento e sendo em certos casos, fatais.

Claro que isso requer tempo, gastos adicionais com água, medicamento e condicionador, podendo provocar também, estresse em algumas espécies. No entanto, a TPA diária garante:

  • Remoção de grande parte dos patógenos e consequentemente maior controle destes.
  • Remoção de substâncias tóxicas liberadas pelo metabolismo do peixe (amônia, nitrito) acumulados durante o dia.
  • Redosagem da medicação, garantindo uma meia-vida maior do medicamento e consequentemente, combate mais eficaz a doença.

A água limpa possibilita ao organismo do peixe focar suas energias na cura, evitando que o sistema imunológico tenha que lidar com estresse fisiológico.

A cada fim de tratamento, o aquário hospital e todo o material utilizado nele deve ser desinfetado com o uso de água sanitária diluída em água ou permanganato de potássio a 2%, eliminando assim os patógenos que porventura tenham se alojado nesses materiais.

Sobre Rosana Ferreira 9 Artigos
Natural de Rio Claro-SP, iniciou no aquarismo ainda criança, ajudando o irmão mais velho a cuidar de seu aquário. Aos 15 anos, montou seu primeiro aquário sozinha, sem muito sucesso. Teimosa, a partir de então, manteve aquários de várias espécies, especialmente poecílios e anabantídeos. Depois de pequena pausa do hobby, retornou em 2001 com aquário mono espécie de kinguio, espécie pela qual se apaixonou e mantém até o presente. Bióloga por formação, hoje se dedica a pintura de quadros a óleo em tela.

5 Comentário

  1. Para simples quarentena de peixes novos – que alguns autores recomendam 15 dias – esse aquário deve tb ser utilizado, contudo, ao menos filtragem biológica é recomendável… o que vc acha, Rosana?

     
    • Olá, Nelson! Em minha opinião, no caso de quarentena seria interessante (na possibilidade de) ter um aquário montado só para isso, mesmo porque os peixes novos precisam se aclimatar em água de boa qualidade, então sim, deverá ter ao menos filtragem biológica. Se não for possível manter um aquário específico, o aquário hospital pode ser guarnecido com midia biológica proveniente do aquário principal neste período, deste que haja garantia de que está devidamente desinfectado.

       
  2. E a água que utilizo no aquário hospital? é do antigo aquário? ou pego zerada da torneira? não necessita de uma parte de ceramica do antigo aquario? pq o hospital se for totalmente agua da torneira, não tem biologia nenhuma….

     

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*