Tetra Nigropterus (Alestopetersius nigropterus)

 
Alestopetersius nigropterus (Poll, 1967)

Ficha Técnica

Ordem: Characiformes — Família: Alestidae (Alestídeo)

Nomes Comuns: Não possui

Distribuição: África, Lago Mai-Ndombe

Tamanho Adulto: 6.5 cm

Expectativa de Vida: desconhecido

Comportamento: pacífico, gregário

pH: 6.0 a 7.0 — Dureza: > 10

Temperatura: 22°C a 26°C

Distribuição e habitat

Este peixe raro aparentemente é exportado de Kinshasa, capital da República Democrática do Congo, e certamente nativo do sistema do rio Congo na área ao redor da cidade, embora a extensão de sua distribuição atualmente não esteja clara.

A localidade é tido como Lago Mai-Ndombe na República Democrática do Congo.

Descrição

Normalmente é confundido ou classificado como A. cf. ansorgii. A. nigropterus é um congênere válido que dificilmente é encontrado no aquarismo, enquanto A. cf. ansorgii é sinônimo de Nannopetersius ansorgii.

O gênero Alestopetersius foi criado pela primeira vez por Hoedeman (1951), para abrigar antigos membros do gênero Petersius (que agora compreende apenas uma única espécie, P. conserialis), mais tarde foi considerado sinônimo de Hemigrammopetersius pellegrin 1926 por Géry (1977).

Criação em Aquário

Aquário com dimensões mínimas de 80 cm de comprimento e 30 cm de largura desejável.

A decoração do aquário é um tanto irrelevante para a espécie, embora fiquem melhor em aquário com plantas.

O aquário biótopo poderá incluir um forte fluxo na água, substrato de rochas de tamanhos variáveis, areia, cascalho fino e rochas maiores formando refúgios. Raízes podem ser utilizadas, mas sempre deixe um bom espaço aberto para nadarem.

Comportamento

Bastante ativo e pacífico, ideal para aquário comunitário.

Tente adquirir pelo menos 8-10 espécimes, uma vez que esta espécie é gregária e apresentará comportamento mais natural quando mantido em grupos maiores.

A interação entre os machos rivais é interessante de se observar. Eles exibirão cores vistosas quando competem por atenção das fêmeas ou posição hierárquica dentro do grupo.

Reprodução

Ovíparo. Sua reprodução é similar aos demais Tetras. Dispersam ovos livremente entre as plantas. A eclosão ocorre de 24 a 36 horas e após uma semana alevinos estarão nadando livremente. Não ocorre cuidado parental.

Dimorfismo Sexual

Os machos adultos são mais coloridos do que as fêmeas e possuem nadadeiras dorsais, ventrais e anais prolongadas. Não apresentam raios médios extensos na nadadeira caudal como em alguns congêneres.

Os machos desenvolvem coloração vermelha no corpo em época de reprodução.

As fêmeas também desenvolvem raios medianos estendidos na nadadeira caudal, mas os lobos caudais e outras nadadeiras são significativamente mais curtas do que nos machos.

Alimentação

Onívoro. Peixes selvagens provavelmente são forrageiros, se alimentando de pequenos insetos, crustáceos, frutas caídas, etc.

Em aquário aceitará prontamente alimentos secos e vivos.

Etimologia: Alestopetersius; (grego) = sem + lestes (grego) = ladrão + Peters, 1877, naturalista, expedicionário na Ásia.

SinônimosPetersius hilgendorfi, Petersius leopodianus, Hemigrammopetersius nigropterus

Referências

  1. Paugy, D., 1984. Characidae. p. 140-183. In J. Daget, J.-P. Gosse and D.F.E. Thys van den Audenaerde (eds.) Check-list of the freshwater fishes of Africa (CLOFFA). ORSTOM, Paris and MRAC, Tervuren.
  2. Poll, M., 1967. Révision des Characidae nains africains. Ann. Mus. R. Afr. Centr., série in-8°, Sci. Zool.
  3. Mbimbi Mayi Munene, JJ and MLJ Stiassny, 2012 – Zootaxa 3166: 59-68
    A new Alestopetersius (Characiformes: Alestidae) from the Kwilu River (Kasai basin) of central Africa; with a phylogeny for the genus and synonymy of Duboisialestes .

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Janeiro/2018
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 769 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*