Peixe Cachorro (Acestrorhynchus lacustris)

Acestrorhynchus lacustris (Lütken, 1875)
Espécime de 23.5 cm capturado no rio Tietê na cidade de Buritama (São Paulo).

Ficha Técnica

Ordem: Characiformes — Família: Acestrorhynchidae

Nomes Comuns: Bicuda, Peixe Cachorro

Distribuição: América do Sul, bacia do São Francisco e alto do Paraná

Tamanho Adulto: 27 cm (comum: 20 cm)

Expectativa de Vida: desconhecido

Comportamento: pacífico, predador

pH: 6.0 a 7.4 — Dureza: desconhecido

Temperatura: 22°C a 28°C

Distribuição e habitat

Encontra-se amplamente distribuído nas bacias do rio São Francisco e do alto rio Paraná, sobretudo nos locais de caráter lêntico.

Ocorre no Brasil e Argentina, sua distribuição no Peru é questionável.

Descrição

Caracterizado por apresentar dentes cônicos e caninos, focinho alongado.

Estão associadas a ambientes lênticos, principalmente lagoas e áreas próximas a margens dos rios. Algumas espécies do gênero realizam migrações reprodutivas de curta distancia.

Conhecido localmente por inúmeros nomes como Peixe Cachorro, Ueua, Bicuda, Peixe Cadela e Dentuço.

Criação em Aquário

Aquário com dimensões mínimas de 150 cm de comprimento e 50 cm de largura desejável.

Frequenta a superfície do aquário e apreciará uma cobertura de plantas de superfície ou plantas altas que cheguem próximo da superfície. Utilize tampas evitando que o peixe pule para fora do aquário.

Comportamento

Pacífico mas que se alimentará de qualquer peixe que couber em sua boca. Deve-se evitar colocar com outros peixes de superfície, principalmente da mesma espécie, são bastante territorialistas. Se optar por mantê-los com outros de mesma espécie, mantenha quatro ou mais indivíduos.

Reprodução

Ovíparo. São dispersores livres. O ritual de reprodução começa com o macho perseguindo e mordiscando a fêmea, posteriormente ele apertará a papila genital da fêmea forçando a liberar os ovos, onde serão fecundados em seguida. Não ocorre o cuidado parental.

Dimorfismo Sexual

Fêmeas adultas possuem abdômen mais volumoso. Nadadeira anal do macho é mais espessa comparado com a da fêmea.

Alimentação

Essencialmente piscívoro. A análise do conteúdo estomacal dos exemplares capturados revelou uma dieta predominantemente piscívora. Durante o inverno, foi constatada uma diminuição acentuada da atividade alimentar do peixe-cachorro. Apesar de apresentar uma diversidade relativamente alta de espécies-presa, foi observada certa predileção por algumas, cujo tamanho, abundância e comportamento, foram os prováveis fatores determinantes.

Em aquário aceitará dificilmente aceitará alimentos secos, devendo ser fornecido alimentos vivos e congelados como peixes e filés.

Etimologia: Acestrorhynchus; agkistron (grego) = gancho + rhyngchos (grego) = focinho

Lacustris = lacustre, que está próximo a ou sobre um lago.

SinônimosXiphorhamphus lacustris

Referências

  1. Menezes, N.A., 2003. Family Acestrorhynchidae (Acestrorhynchids). p. 231-233. In R.E. Reis, S.O. Kullander and C.J. Ferraris, Jr. (eds.) Checklist of the Freshwater Fishes of South and Central America. Porto Alegre: EDIPUCRS, Brasil.
  2. Menezes, N.A., 1969. Systematics and evolution of the tribe Acestrorhynchini (Pisces, Characidae). Arq. Zool. (Sao Paulo) 18 (1-2):1-150.
  3. Romero, P., 2002. An etymological dictionary of taxonomy. Madrid, unpublished.
  4. Batista-Silva, V.F., D. Bailly, E.A.L. Kashiwaqui, M.C.F. Abelha and W.J. Graça, 2015. Length-weight relationships for 55 freshwater fish species from the Iguatemi River, Upper Paraná basin, Brazil. J. Appl. Ichthyol. 31:257-260.
  5. Das Neves Falcão, J. and L.A. Bertollo, 1985. Chromosome characterization in Acestrorhynchinae and Cynopotaminae (Pisces, Characidae). J. Fish Biol. 27(5):603-610.
  6. Nomura, H., 1984. Nomes científicos dos peixes e seus correspondentes nomes vulgares. In H. Nomura (ed.). Dicionário dos peixes do Brasil. Editerra, Brasília, Brasil: 27-63.
  7. Silvano, R.A.M. and A. Begossi, 2001. Seasonal dynamics of fishery at the Piracicaba River (Brazil). Fish. Res. 51(1):69-86.
  8. SILVA, AT. and GOITEIN, R. Dieta e atividade alimentar de Acestrorhynchus lacustris (Lütken, 1875) (Characiformes, Acestrorhynchidae) no reservatório de captação de água do Ribeirão Claro, SP. –

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Abril/2017
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 615 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*