Colisa Mel / Chuna (Trichogaster chuna)

 

Trichogaster chuna

Classificação

Classe: Actinopterygii  • Ordem: Perciformes • Família: Osphronemidae

Nome binomial: Trichogaster chuna (Hamilton, 1822)

Sinônimos: Trichopodus chuna, Colisa chuna, Trichopodus sota, Colisa sota, Polyacanthus sota

Grupo Aquário: Gouramis, Labirintídeos

Nomes comuns

Colisa Mel, Colisa chuna

Inglês: Honey gourami, Sunset gourami, Honey dwarf gourami,

Distribuição & habitat

Ásia. Norte da Índia, incluindo planície inundada e delta em Bangladesh, além do sistema de Brahmaputra, além de registros no Nepal.

Países: Bangladesh, Índia, Nepal

Habita predominantemente ambiente lêntico como riachos, lagoas, pântanos, valas e córregos e canais de irrigação com vegetação abundante. Encontrado em águas macias e pouco mineralizadas, que sofrem flutuações sazonais devido as monções anuais ocorrentes entre Julho e Outubro.

Trichogaster chuna-map
Mapa por Discover Life

Ambiente & parâmetros da água

Bentopelágico; água doce • pH: 6.4 – 7.4 • Dureza: 5 – 19 • Clima: tropical; 22°C – 28°C

Tamanho adulto

7 cm (comum 5 cm) • Estimativa de vida: 3 anos +

Manutenção em aquário

Aquário com dimensões mínimas de 60 cm X 30 cm X 30 cm (56 litros) requerido. Como a maioria dos Anabantóides, não apreciam forte movimentação na água. Aquário densamente plantado é bastante apreciado pela espécie. Importante formar refúgios e tocas caso venha a manter um casal, uma vez que o assédio do macho é bastante forte junto a fêmea.

É uma espécie pacífica e ideal para aquário comunitário, podendo se tornar territorialista e agressivo frente a outros membros do gênero, nomeadamente outras Colisas e não raramente outros Anabantóides como Tricogaster, Peixe Paraíso e Bettas. É um peixe de comportamento tímido que deve ser mantido com peixes de pequeno porte e igualmente pacíficos.

Amplamente mantido em pequenos aquários, como os populares Bettas, esta ação deve ser evitada e desencorajada.

Alimentação

Onívoro, em seu ambiente natural alimenta-se principalmente de pequenos crustáceos, rotíferos, protozoários, algas larvas de insetos e pequenos anelídeos. Em aquário aceitará alimentos secos sem dificuldades, devendo também ser fornecido pequenos alimentos para desenvolver melhor sua saúde e coloração.

Reprodução e dimorfismo sexual

Ovíparo. Durante a fase de reprodução o macho tenderá ser agressivo com a fêmea, comportamento que cessará no momento em que começar o ritual reprodutivo. Os dois ficarão embaixo do ninho de bolhas com o macho cutucando a fêmea com seu focinho e acariciando a área ventral com suas “antenas”.

A desova ocorrerá embaixo do ninho de bolhas no típico abraço anabantóide, com o macho se enrolando em torno da fêmea com os óvulos e espermatozoides sendo liberados simultaneamente. Os ovos liberados pela fêmea são flutuantes, eventualmente alguns poderão afundar onde serão recolhidos pelo macho e colocados dentro do ninho.

Terminado a desova, o macho assumirá a responsabilidade pela guarda do ninho e a fêmea será bastante agredida, devendo ser retirada. A eclosão ocorre em até 36 horas dependendo da temperatura. Após estarem nadando livremente o macho poderá ser retirado.

Dimorfismo sexual

Fêmeas adultas apresentam coloração acastanhada e são visivelmente maiores que os machos e possuem uma ampla faixa lateral marrom estendendo-se posteriormente de trás do olho até o pedúnculo caudal. Machos apresentam tom alaranjado em suas nadadeiras, exceto caudal, além de possuir nadadeira dorsal e anal mais longas e pontiagudas.

Galeria de imagens

Trichogaster chuna5

Trichogaster chuna3

Trichogaster chuna4

Trichogaster chuna6

Trichogaster chuna2

Descrição

Espécie extremamente popular entre aquaristas dado sua beleza e adaptabilidade relativa a química da água. É conhecido por diversos nomes incluindo algumas variedades ornamentais produzidas seletivamente, como as populares variedades “Sunset” e Vermelho. Esta última variedade é comumente confundido com a variedade vermelha da Colisa Lalia (Trichogaster lalius), mas podem ser diferenciados pelo tom da coloração.

Em seu ambiente natural é comum encontrá-lo em regiões quentes e águas estagnadas pobre em oxigênio, em meio a densa vegetação.

Podem respirar oxigênio atmosférico através de seu órgão acessório conhecido como labirinto. Este órgão é formado por uma modificação no primeiro arco branquial, altamente vascularizado e ricamente irrigado por vasos sanguíneos, que faz com que o ar passe bem próximo da corrente sanguínea, proporcionando a troca de oxigênio com o sangue por meio de difusão. A estrutura do órgão varia de complexidade entre as espécies , tendendo a ser mais desenvolvido em espécimes que habitam ambiente privado de oxigênio.

Um trabalho de Myers em 1923 resultou em uma má interpretação taxonômica e naquela época o nome genérico Colisa foi adotado para as pequenas espécies ocidentais de Gouramis, incluindo esta espécie. Esta interpretação foi revista recentemente e a estrutura taxonômica sofreu alterações sendo reestruturado. O resultado é que todas as espécies que tinham sido colocadas sob o gênero Colisa agora foram alterados para Trichogaster por Topfer e Schindler, em 2009, e Tan e Kottelat em 2009.

Referências

  1. Robins, C.R., R.M. Bailey, C.E. Bond, J.R. Brooker, E.A. Lachner, R.N. Lea and W.B. Scott, 1991. World fishes important to North Americans. Exclusive of species from the continental waters of the United States and Canada. Am. Fish. Soc. Spec. Publ. (21):243 p.
  2. Talwar, P.K. and A.G. Jhingran, 1991. Inland fishes of India and adjacent countries. Volume 2. A.A. Balkema, Rotterdam
  3. McKay, R.J., 1984. Introductions of exotic fishes in Australia. p. 177-199. In Courtenay, W.R. Jr. and J.R. Stauffer, Jr. (Editors). Distribution, Biology and Management of Exotic fishes. The John Hopkins University Press, Baltimore, Maryland, USA.

Ficha por (Entered by): Edson Rechi — Novembro/2014
Colaboradores (collaboration): –

Sobre Edson Rechi 757 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.