Cascudos devem virar “dentadura” no México

Tratado como praga, espécie é considerada invasora no país da América do Norte

Foto divulgação
Foto divulgação

Tratado como invasor e chamado de “diabo”, o popular cascudo está prestes a ser usado em tratamentos odontológicos no México. A proposta foi elaborada pela Universidade de Tamaulipas, no interior do país. Seria uma medida sustentável para controlar a espécie predadora.

O projeto encaminhado pelos estudiosos prevê o uso de partes ósseas dos peixes invasores na fabricação de próteses, de materiais de auxílio e até mesmo na obtenção de hidroxiapatita – mineral usado em diversos tratamentos dentários.

“Vamos aproveitar todo o descarte da parte óssea dos exemplares pescados. Precisamos conter a disseminação deste peixe, pois ele vem causando a matança de cardumes de espécies valiosas para a nossa economia”, informa o coordenador do projeto Jorge Humberto Luna Dominguez.

O cascudo é endêmico da América do Sul, mas também está presente na América Central, bem próximo do México. No Brasil ele costuma ser criado em aquários e em represas, com a função de controlar cardumes e até mesmo de fazer a limpeza do “fundo”.

Fonte: Revista Pesca & Companhia

Sobre Edson Rechi 578 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*