Mais de 1.200 peixes morrem em aquário por falta de oxigênio

No total, morreram 94% dos peixes que se encontravam no tanque de maior capacidade do aquário

Um total 1.235 peixes, incluindo vários exemplares de raia pintada, morreram num aquário de Tóquio por falta de oxigênio, confirmaram hoje à agência Efe fontes do Sunshine Lagoon, que atribuíram as mortes a um problema técnico.

Foto de Guilhem Vellut

No total, morreram na passada quarta-feira 94% dos peixes, de 24 espécies distintas, que se encontravam no tanque de maior capacidade do aquário, e permaneceram 73 peixes vivos, de 26 espécies.

Segundo um porta-voz do aquário, os trabalhadores do recinto deram conta de que havia um problema na manhã de dia 08, quando ao passarem pelo recinto, observaram que muitos peixes tinham morrido e começaram a introduzir oxigênio no tanque.

No dia anterior tinha sido colocado um medicamento no tanque para curar uma doença rara que deixava manchas na pele dos peixes e, para aumentar o seu efeito, desconectou-se um dos aparelhos que administrava oxigénio à água, deixando em funcionamento outras máquinas com este propósito.

Não obstante, a redução na quantidade de oxigénio administrada é, segundo a mesma fonte, a causa mais provável das mortes, já que após analisar as condições da água, comprovaram que não tinha nenhum problema.

Os responsáveis do aquário encontram-se no processo de adquirir mais peixes — procedentes de climas do sul — e comprometeram-se a adquirir mais aparelhos que fornecem oxigénio.

O aquário em Ikebukuro é um dos mais importantes em Tóquio e conta com 67 tanques de tamanhos diferentes.

Sobre Edson Rechi 636 Artigos

Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*