Estudos científicos mostram o peixe-zebra como modelo animal

Pesquisa sobre a função de um gene específico (LRRK2) e de microRNAs na manifestação do alcoolismo

Danio-rerio

O peixe-zebra (Danio rerio), também chamado de peixe paulistinha, tem sido uma espécie aliada da ciência nas pesquisas da área biomédica, nos estudos comportamentais, genéticos, toxicológicos. Depois dos roedores, eles são atualmente os modelos animais mais utilizados para pesquisas experimentais, devido à semelhança genética com seres humanos, apresentando-se como modelo alternativo.

A pesquisa foi elaborada pela Universidade Federal de Lavras (UFLA) que, desde 2010, mantém uma ala de peixes em seu Biotério Central, com a criação de peixes-zebra para pesquisa. No momento, estão em desenvolvimento pesquisas que podem gerar novos conhecimentos sobre alterações hormonais, alcoolismo, agrotoxicologia e ecotoxicologia.

Um dos estudos apresentados no encontro está sendo feito no Biotério da UFLA pela doutoranda em Genética da UFMG Isadora Marques Paiva, orientada pela professora Ana Lúcia Brunialti Godard (UFMG). Ela investiga a função de um gene específico (LRRK2) e de microRNAs na manifestação do alcoolismo, realizando experimentos com o zebrafish. Os primeiros resultados do estudo já permitem observar a alteração do comportamento dos peixes quando expostos ao álcool. “Estima-se que em 2010, por exemplo, o uso de álcool foi responsável por mais de 2,5 milhões de morte em todo o mundo”, citou Isadora, ao explicar a relevância social dos estudos.

As vantagens apontadas pelos pesquisadores para utilização de peixes-zebra nos estudos são muitas: a criação tem custo bem mais baixo que a de outros modelos animais, o ciclo de vida é rápido (em 72 horas os ovos eclodem e em três meses as larvas evoluem para o estágio adulto), eles ocupam pequenos espaços, têm alta fertilidade e alta capacidade de absorção de substâncias pela água, o que evita procedimentos mais invasivos. As investigações científicas com o zebrafish, em alguns casos, substitui o uso de experimentos com roedores e, em outros, é um complemento que agiliza os resultados.

O peixe, cujo nome científico é Danio rerio, é de origem asiática e foi o primeiro a ter todo o seu genoma totalmente sequenciado – foram 26 mil genes codificados. Desse sequenciamento, verificou-se que eles possuem 70% de seus genes semelhantes aos dos humanos. No caso dos roedores, a semelhança é de 85%. No entanto, o zebrafish é hoje um modelo adequado para pesquisas da área biomédia e desenvolvimento de novas terapias porque possui 85% dos genes que estão associados a causas de doenças no homem.

Fonte: Revista Pesca Esportiva

Sobre Edson Rechi 578 Artigos
Aquarista em duas fases distintas, a primeira quando criança e tentava manter peixes ornamentais sem muito sucesso. Após um longo período sem aquários, voltou no aquarismo em 2004, desde então já manteve diversos tipos de aquários como plantado, peixes jumbo, ciclídeos africanos, água salobra, amazônico comunitário e marinho. Atualmente curte e mantém peixes primitivos e ciclídeos neotropicais, suas grandes paixões.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*